Seguidores

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

“ESPÍRITOS QUE SE COMUNICAM DENTRO DA IGREJA! ”

Em seu livro, Brune reuniu vários relatos historicamente comprovados, um deles envolvendo inclusive um Papa. O Pe. François Charles Antoine Brune é bacharelado em Latim, Grego e Filosofia. Cursou seis anos do “Grand Seminaire”, sendo cinco no Instituto Católico de Paris e na Universidade de Tubingen. Tem cinco anos de curso superior de Latim e Grego na Universidade de Sorbone. Estudou as línguas assírio-babilônico, hebreu e hierógrifos egípcios. Foi licenciado em Teologia no Instituto Católico de Paris em 1960, e em Escritura Sagrada, no Instituto Bíblico de Roma, em 1964.
Foi professor de diversos “Grands Seminaires” durante sete anos e é da ordem de S. Sulpício. Estudou a tradição dos cristãos do Oriente e dedica-se a estudos dos fenômenos paranormais.
Em 1983, o Pe. François Brune lançou seu primeiro livro - “Pour Que L'Homme Devienne Dieu” (Para que o Homem se Torne Deus).
Em 1989 lançou o seu segundo livro, “Les Morts Nous Parlent”, que foi publicado no Brasil em 1991 com o título Os Mortos nos Falam e em 1993, “En Direct Avec L’Au Dela”, com Chauvin Remy, traduzido como Linha Direta do Além: Transcomunicação instrumental: realidade ou utopia?
Na orelha do seu livro Os Mortos Nos Falam, o Pe. Brune escreve:
“Escrevi este livro para tentar derrubar o espesso muro de silêncio, de incompreensão, de ostracismo, erigido pela maior parte dos meios intelectuais do ocidente. Para eles, dissertar sobre a eternidade é tolerável; dizer que se pode entrar em comunicação com ela é considerado insuportável.
Tomem este livro como um itinerário. Abandonem, tanto quanto possível, suas ideias preconcebidas. Não tenham medo; se este livro não os transformar, logo se aperceberão. Em todo caso, leiam esta obra como a história de uma descoberta fabulosa e verdadeira.
Progressivamente então, surgirão essas verdades essenciais que se tornarão, assim eu lhes desejo, a matéria de suas vidas. A morte é apenas uma passagem. Nossa vida continua, sem qualquer interrupção, até o fim dos tempos. Levaremos conosco para o além nossa personalidade, nossas lembranças, nosso caráter.
O após vida existe e nós podemos nos comunicar com aqueles que chamamos de mortos.”
Ainda neste livro, ele lamenta:
“O mais escandaloso é o silêncio, o desdém, até mesmo a censura exercida pela Ciência e pela Igreja, a respeito da descoberta inconteste mais extraordinária de nosso tempo: o após-vida existe e nós podemos nos comunicar com aqueles que chamamos de mortos.”
E encerrando seu livro Linha Direta do Além, afirma:
“Estou verdadeiramente convencido de que, com a transcomunicação instrumental, dispomos de novos meios, fantásticos, que nos garantem nossa sobrevivência após a morte.”
François Brune é o representante do vaticano para assuntos de Transcomunicação Instrumental (T.C.I.), técnica pelo meio da qual os mortos se comunicam com o mundo material através de aparelhos eletrônicos.
O Padre François Brune viu na transcomunicação instrumental uma forma de provar que a vida continua no além-túmulo: “ Eu quero mostrar que a vida continua, que há Deus que nos ama, que nos espera e que o único valor da vida é o amor. Quero mostrar que a vida depois da morte depende de nossa vida neste mundo”.
Em seu livro, Brune reuniu vários relatos historicamente comprovados, um deles envolvendo inclusive um Papa. Em 17 de setembro de 1952, o padre Gemelli, que era então presidente da Academia Pontifícia de Ciências, tentava filtrar a qualidade do som de gravações de Canto Gregoriano. Exasperado com os problemas técnicos que enfrentava, exclamou: “Papai, me ajude!” Órfão desde a infância, padre Gemelli costumava repetir essa invocação sempre que estava em dificuldade. Tarefa terminada, ele voltou a escutar a fita.
Quase desmaiou quando, de repente, em vez da gravação do canto, apareceu a voz de seu pai defunto que lhe dizia: “Mas é claro que vou te ajudar, Zuccone (Abobrão, em italiano), eu estou sempre perto de você!” Zuccone era o apelido que seu Pai lhe dera quando vivo.
O Padre Gemelli foi contar tudo ao papa Pio XII. Mas este, longe de mostrar espanto, tranqüilizou o sacerdote e disse: “Isso nada tem a ver com Espiritismo. O gravador é um aparelho objetivo que não podemos influenciar. Essa experiência poderá talvez suscitar estudos científicos que confirmarão a fé no mundo do além”.
Além disso, o Papa João Paulo II, perante mais de 20.000 pessoas na Basílica de São Pedro, em 2 de Novembro de 1983, disse: “O diálogo com os mortos não deve ser interrompido, pois, na realidade, a vida não está limitada pelos horizontes do mundo”.
Vale a pena ler todo o conteúdo do livro Os Mortos nos Falam e examinar os imensos desdobramentos da pesquisa que este padre teve a coragem e ousadia de trazer à lume.
No capítulo VIII Brune faz mais uma asserção constrangedora para a Igreja Católica: A REENCARNAÇÃO: ÚLTIMA PROVAÇÃO DA ALMA INFELIZ
O que acontece, então, aos falecidos que mais recusaram o Amor? Pierre Monnier afirma-nos que Deus concede-lhes uma segunda oportunidade e permite-lhes voltar à terra. É a reencarnação.
Muitos outros mensageiros ou pseudo-mensageiros afirmam a mesma coisa, evidentemente. Mas isto não bastaria para convencer-me. Aceito esta teoria porque alguns daqueles que a sustentam inspiram-me, por diversas razões, uma confiança especial. Pierre Monnier não é o único, entre estes mensageiros de confiança, a afirmá-lo; mas é, talvez, entre aqueles em quem confio, o que parece estar mais bem informado sobre o fenômeno e o que aceita fornecer-nos maiores detalhes. Muitos outros dizem mais que ele, evidentemente, mas o problema é que não gozam de minha confiança.
Portanto, segundo ele: “efetivamente, a reencarnação ocorre, às vezes, com muito menor frequência do que imaginam alguns”.1 Ela é “muitas vezes aconselhada como sendo o meio mais rápido de realização da evolução obrigatória para que se atinja a felicidade para a qual tendemos todos, e que só conheceremos na fusão com Deus”.
Entretanto, ela é, “por assim dizer, sempre facultativa”,3 o que implica que, por vezes, não ocorra, o que é confirmado mais adiante: “trata-se de uma obrigação excepcional”.4 Aliás, mesmo quando uma alma compreende que sua evolução poderia ser mais rápida se aceitasse reencarnar, muitas vezes renuncia a esta possibilidade para não quebrar o laço de amor para com aqueles que deixou sobre a terra.
A reencarnação ocorre, às vezes, em famílias inteiras, ou quase: os pais que arrastaram seus filhos em sua infelicidade, por seus erros, pedem para reparar a falha dando a luz, novamente, aos mesmos filhos, ou pelo menos àqueles que não souberam escapar de sua má influência.
Alguns textos difíceis da Escritura, a respeito da predestinação, podem ser explicados por este fenômeno da reencarnação.
Por fim, a reencarnação é frequente nos animais, particularmente nos cães. Há até mesmo casos bastante excepcionais “permitidos por Deus, em circunstâncias bem raras, e com um objetivo definido”, onde um animal reencarna como ser humano.
Portanto, baseado em tais mensageiros (e não somente em Pierre Monnier), creio que uma certa forma de reencarnação existe.
Ao contrário, não estou certo de que tenhamos obtido, até hoje, provas absolutas da existência do fenômeno. Mas creio nele, apesar disto, porém baseado no testemunho dos mensageiros, e não devido à existência destas “provas”. E como creio, apesar de tudo, considero-me dispensado de discutir, caso a caso, o valor das chamadas “provas”. Prefiro admitir logo de início, sem discussão, que em cada um destes casos encontramos um caso verdadeiro.
Os dois problemas que permanecem, entretanto, em discussão são os seguintes:
- Estes casos são verdadeiramente excepcionais como afirma, por exemplo, Pierre Monnier? Ou, ao contrário, é uma regra, para todos os homens, voltar à terra, até mesmo várias vezes, como afirmam outros mensageiros, sustentados por fortes correntes filosóficas e religiosas?
- Em que consiste, verdadeiramente, a reencarnação quando ela ocorre?

Fonte: ESPIRIT BOOK-  Ana Maria Teodoro Massuci.
www.espiritbook.com.br/

“A TERRA E O FUTURO. O QUE ESTÁ ACONTECENDO COM O NOSSO PLANETA? ”

Com as constantes modificações que observamos no nosso planeta nos dias de hoje e com as informações já fornecidas pela espiritualidade, ha espaço para reflexão sobre futuro da humanidade na Terra. Uma discussão desse tipo nos parece importante, tendo em vista a necessidade da pratica da reflexão em nossa vida para podermos seguir nessa jornada da melhor maneira possível, evitando sofrimentos desnecessários e contemplando a felicidade que a vida nos pode fornecer.
Já no tempo da codificação, os amigos espirituais de planos maiores incumbidos da missão, "Terra Regenerada", nos informaram da decisão Divina em promover a evolução da Terra como planeta Expiatório para Regenerado. Isso implica, evidentemente, numa condição mais feliz de vida para a humanidade futura. Como o próprio termo diz, expiação implica na necessidade de reencarnações reparatórias de erros cometidos em vidas anteriores e, consequentemente, o sofrimento encontra-se presente fortemente nesse sistema de vida. Regeneração significa um passo adiante na escala evolutiva; uma fase de transição rumo a felicidade eterna. Regenerar demonstra o arrependimento e a recuperação de muitos erros com o estabelecimento da harmonia evolutiva e, portanto, um estagio mais feliz de vida individual e em comunidade.
Nessa importante missão, o plano espiritual nos informou que o Brasil foi o pais escolhido como pólo centralizador do movimento transformatório. O projeto Terra Regenerada, certamente implica em etapas devidamente planejadas com a participação de pessoas atuando em todas as áreas do conhecimento humano e em todos os pontos do planeta, assim como em outros planos espirituais. Tudo esta sendo coordenado pela Espiritualidade Maior, responsável pelo desenvolvimento da vida na Terra em contexto com o Universo.
Muita gente ainda não teve acesso a essas informações ou mesmo não acredita nelas e observa o mundo como decadente. Muitos acreditam na destruição drástica do planeta e na seleção Divina da humanidade entre o céu e o inferno. Tendo em vista a complexidade da vida no planeta, com bilhões de espíritos encarnados e outros tantos em planos espirituais próximos, cada um com a sua individualidade inata e Livre-arbítrio, evidenciamos ainda muita desordem, sofrimentos, injustiças, etc. Mas aonde estão as evidencias do projeto Terra Regenerada?
A primeira delas vamos encontrar no próprio Evangelho, onde Jesus Cristo nos garante que Deus Pai nos enviara, no momento adequado, o Consolador e com ele os anjos santos. Assim, umas plêiades enormes de espíritos superiores trabalharão nesse projeto.
Um projeto dessa natureza não poderia ser realizado de uma hora para outra sem implicações serias na estrutura do planeta e na harmonia do universo. E, portanto, de se esperar que isso se processe gradualmente, dentro das condições naturais do planeta. Mas também ha de se pensar num processo não muito demorado, devido aos efeitos marcantes de destruição da natureza provocados por homens sem visão do coletivo e também pela necessidade evolutiva mais rápida daqueles que amam a Terra.
Com essa visão, o projeto básico consistiria numa seleção dos espíritos reencarnantes no planeta. A permissão da reencarnação de somente espíritos com níveis de evolução apropriados a Terra regenerada e de espíritos missionários mais elevados, propiciara mudanças radicais em benefício de todos, mas infelizmente as custas de grandes sofrimentos, o que não e motivo de desagrado para muitos que compreendem o grande valor desses desafios para a evolução espiritual. Neste caso, devemos observar o bom desenvolvimento espiritual de adultos, jovens e principalmente das crianças de hoje. Porém não pode haver uma regra fixa estabelecida para todos e muitas exceções se efetuam por motivos diversos.
Nesta etapa, como observamos atualmente, grupos de jovens e crianças com desafios cada vez maiores no caminho do bem surgem a todo instante, como movimentos de solidariedade humana, preservação da natureza, contra preconceitos, estabilidade política, contra corrupção, etc. Ações fortes estão sendo encaminhadas em todos os sentidos, não mais a nível local, regional ou de um pais. Ha que se pensar no mundo como um só. Surge a globalização econômica e social. Essa integração implicara em modificações acentuadas no modo de vida do planeta. Haverá preocupação com a vida geral em todo o planeta. A preservação do meio ambiente será prioridade global e os paises que mais prejudicaram a natureza ao longo dos anos, deverão contribuir mais para a preservação global, sejam ajustando suas atividades econômicas ou contribuindo com recursos financeiros aos paises que devem manter a natureza preservando a vida na Terra. O tempo da guerra fria acabou para sempre. Com o tempo se percebera que o investimento de recursos em armamentos e inútil e desnecessário. Contrariamente, o desarmamento geral será uma pratica de eficiência administrativa sem prejuízo algum, pois haverá desinteresse em conflitos externos devido a convivência amigável em comunidade global, implementado inclusive pela competitividade saudável no trabalho mas com respeito ao próximo.
Um outra etapa importantíssima seria o desenvolvimento de tecnologia avançada capaz de promover a união rápida e eficiente da comunicação em todos os pontos do planeta. Não se pode imaginar nenhuma mudança significativa em qualquer lugar sem a existência de trocas de informações. Uma liderança e tanto mais significativa quanto maior for a sua capacidade de convencimento de pessoas as suas ideias que passam as incorporá-las em seu modo de vida. A informática e a tecnologia estabelecida para o projeto Terra Regenerada. Com o uso da internet as pessoas opinarão globalmente, promovendo mudanças administrativas significativas nos governos de todos os países, pois haverá imensa pressão da própria sociedade mundial nas administrações locais. Podemos visualizar uma mudança radical nas administrações, saindo da esfera individual ou partidária restrita, para uma imensa participação popular, vencendo as opiniões da grande maioria. Para a popularização mundial da informação, deve ser resolvido o problema da linguagem. Porém, já estão em aprimoramento programas de tradução automática que serão auxílios indispensáveis a comunicação de massa internacional.
Diante dessa visão perguntamos: Qual o nosso papel neste planeta? Ajudar esse projeto ou viver nesse contexto? Cabe a cada um descobrir o seu real objetivo no momento. Verificar as suas possibilidades; compreender a sociedade onde vive e ajudá-la a melhorar, quer seja na sua família quer em meio mais amplo. As possibilidades de trabalho são muitas.
O espiritismo fornece um meio seguro para a reflexão, acompanhando a ciência passo a passo e promovendo a construção de um futuro melhor com o fortalecimento de uma fé racional e inabalável. E nessa área que o Brasil cumpre a sua principal missão, ensinando a pratica da caridade e a fraternidade universal a todos os povos com as suas inúmeras instituições beneficentes como hospitais, orfanatos, creches, asilos, grupos e casas espíritas espalhadas por todo o pais. Mas e aqui na internet que esse exemplo de solidariedade e amor a doutrina espírita se espalhara ao planeta com grande rapidez. Doutrina essa que simplesmente coloca o homem em constante meditação sobre a vida. De tudo o que se ouve, cabe a cada um seguir a sua razão, sem preconceitos. A humildade e ponto fundamental no entendimento da verdade da vida e fator que limita o potencial do uso da razão.
Raul Franzolin Neto

Fonte: Portal do Espírito-https://espirito.org.br/