Seguidores

sábado, 2 de dezembro de 2017

“VOCÊ É AJUDADO O TEMPO TODO. ESTEJA DISPONÍVEL PARA APROVEITAR ESTA AJUDA. ”

O plano espiritual interage com o plano terreno. Se você mantiver sua mente conturbada com mil pensamentos e sentimentos, formará uma barreira que dificultará a ação das boas vibrações emanadas pelos espíritos de luz.
Por isto, não se OCUPE com preocupações. Saiba esperar para ocupar sua mente somente no momento em que for se esforçar para resolver o problema.
Mantenha sua mente serena e facilite a ação das vibrações espirituais em sua vida. Você é o responsável por resolver seus problemas, mas as vibrações elevadas dos espíritos de luz poderão te ajudar.
Você vive e faz parte de um "oceano" de energias.
Imagine tudo à sua volta como uma imensidão de energia razoavelmente organizada.
A cadeira na qual você senta. Ela é compostas por átomos, que por sua vez se mantém juntos por força energética. Estes átomos são energia, energia organizada e cooperadora (para aprofundar sugiro a leitura do livro "A Espiritualidade no dia a dia")
Inclua você neste "oceano" de energia. A energia se movimenta, com trocas intensas. Este movimento gera um profundo intercâmbio de força e informações.
Cada parte organizada deste oceano é capaz de agregar qualidades e informações às energias que interagem com elas.
Explico: você recebe vibrações do meio ambiente. Por sua vez, você também emite vibrações. Entre receber e retransmitir, você metaboliza estas energias, agregando a elas suas próprias características. É por isto que a vibração emitida por um Gandhi ou São Francisco de Assis é mais "elevada" que aquelas que nós emitimos.
Os planos espirituais como um todo e cada espírito em particular também emitem vibrações. Desta forma, todos os tipos e níveis vibracionais circulam e estão disponíveis para serem captados.
Você capta vários diferentes níveis de vibrações porque você possui áreas mais evoluídas e outras menos evoluída. A sintonia de cada ser humano é múltipla. Prevalecendo aquelas que ele cultiva através de atos, pensamentos e sentimentos (mais sobre a vibrações aqui, aqui e aqui).
A principal (não é a única) forma que o plano espiritual tem para te ajudar é criando um arcabouço de ótimas vibrações capazes de te ajudar e influenciar. Cabe a você estar pronto para absorver estas vibrações (energia mais informações).
Pensando simples: na sua casa, você e sua família estão produzindo vibrações. Os espíritos de luz, por sua vez, sabem que vocês precisam de vibrações mais elevadas do que aquelas que vocês produzem. Eles atuam para elevar estas vibrações. Entenda que na sua casa haverá vários tipos diferentes de vibrações (mais densas e mais sutis). Os espíritos de luz trabalham para aumentar as vibrações mais sutis (geralmente mais elevadas).
O que os espíritos de luz (mais evoluídos) querem? que você seja mais influenciado e INSPIRADO por vibrações mais elevadas. Eles se esforçam para propiciar as melhores condições vibracionais possíveis.
E você? Você tem prontidão para ser influenciado por estas vibrações benéficas? Você se coloca em condição de ser inspirado por elas?
Chico Xavier. A mente é como uma antena, capta o que estamos sintonizando, o bem ou o mal. Depende de nós mudar a frequência.
Como estar preparado para receber e aproveitar estas vibrações elevadas?
Cultivando dentro de de si os sentimentos e pensamentos mais nobres.
Manter a mente calma e limpa de rancor, mágoas, traumas, ódios.
Não deixar a mente excitada ou confusa com desejos, vontades, necessidades que se sobrepõem.
Aplicar nas pequenas ações do dia a dia sua capacidade de oferecer o seu melhor, com intenções nobres.
Pratique algumas vezes por dia a oração, mentalização ou meditação. (Lista de mentalizações)
Abaixo dou um exemplo de como se sintonizar com as vibrações mais elevadas, retirado do meu livro "A Espiritualidade no dia a dia".
Uma amiga comprou mandioca para fazer o prato preferido de um sobrinho. Fez com carinho e o recebeu em sua casa com sorriso nos lábios e felicidade no coração. Todo processo gerou nela ótimos frutos: boa vontade, oportunidade para fluir o amor e usufruir das delícias de ter carinho e afeto por alguém. Esses momentos de paz interior também são momentos em que a comunicação espírito-mente se faz mais forte. Há um reforçamento das boas vibrações que estão parcialmente direcionadas à outra pessoa (no caso, o sobrinho). Essas emanações chegam até o sobrinho, mesmo antes de ele chegar para o almoço. Dias antes, quando ela se lembrou dele e se propôs a fazer algo legal e com amor, as vibrações benévolas foram ativadas e foram direcionadas para o sobrinho.
Estas emanações são superimportantes. São muito importantes, são demasiadamente importantes. É “um banho de energia elevada”, que toma conta da vida de quem as fortalece e influencia a vida de quem as recebe. Vocês não imaginam a quantidade de decisões ruins que são evitadas no planeta porque a pessoa recebe emanações elevadas e através delas muda sua ação. Sim, a oração tem efeito. Sim, o amor tem força de influência. A decisão é sempre responsabilidade de cada um. Mas essas influências positivas estarão presentes para lhes motivar a seguir outro caminho.
O livre arbítrio é de quem decide, mas ter boas influências e bons exemplos ajuda muito.
Trecho do livro "A Espiritualidade no dia a dia".
https://www.amazon.com.br/dp/B01LXTRN1C
Você só manterá suas vibrações sempre elevadas se usar sua rotina do dia a dia para gerar atitudes, pensamentos e sentimentos nobres. Quem os cultiva entra em sintonia com as vibrações mais elevadas. Quando em sintonia, a pessoa é inspirada e influenciada por estas vibrações. A influência vibracional chega até às ações, passando pelas decisões e pelas motivações. Uma nova vida pode ser construída.
Lembre-se: Cuide de você com carinho. O maior carinho é cultivar sentimentos e pensamentos nobres
Além da influência vibracional, os espíritos podem estabelecer comunicação direta.
Abaixo as palavras de Allan Kardec sobre os anjos da guarda ou espíritos protetores (Livro dos Espíritos, capítulo VI):
"O Espírito protetor, anjo da guarda ou bom gênio, é aquele que tem por missão seguir o homem na vida e o ajudar a progredir. É sempre de uma natureza superior à do protegido.
Os Espíritos familiares se ligam a certas pessoas por meio de laços mais ou menos duráveis, com o fim de ajudá-las na medida de seu poder, frequentemente bastante limitado. São bons, mas às vezes pouco adiantados e mesmo levianos, ocupam-se voluntariamente de pormenores da vida íntima e só agem por ordem ou com permissão dos Espíritos protetores.
Os Espíritos simpáticos são os que atraímos a nós por afeições particulares e uma certa semelhança de gostos e de sentimentos, tanto no bem como no mal. A duração de suas relações é quase sempre subordinada às circunstâncias.
O mau gênio é um Espírito imperfeito ou perverso que se liga ao homem com o fim de o desviar do bem, mas age pelo seu próprio impulso e não em virtude de  uma missão. Sua tenacidade está na razão do acesso mais fácil ou mais difícil que encontre. O homem é sempre livre de ouvir a sua voz ou de a repelir."

Allan Kardec mostra que os espíritos buscam também uma influência mais direta sobre a vida do ser humano. Podem ser espíritos bons ou maus, em missão ou apenas interessado na pessoa. São de vários tipos. Eles atuam sugerindo e influenciando pensamentos e sentimentos.
Leia abaixo:
Como havemos de distinguir os pensamentos que nos são próprios dos que nos são sugeridos?
“Quando um pensamento vos é sugerido, tendes a impressão de que alguém vos fala. Geralmente, os pensamentos próprios são os que acodem em primeiro lugar. Afinal, não vos é de grande interesse estabelecer essa distinção. Muitas vezes, é útil que não saibais fazê-la. Não a fazendo, obra o homem com mais liberdade. Se se decide pelo bem, é voluntariamente que o pratica; se toma o mau caminho, maior será a sua responsabilidade.”
É sempre de dentro de si mesmos que os homens inteligentes e de gênio tiram suas ideias?
“Algumas vezes, elas lhes vêm do seu próprio Espírito, porém, de outras muitas, lhes são sugeridas por Espíritos que os julgam capazes de compreendê-las e dignos de vulgarizá-las. Quando tais homens não as acham em si mesmos, apelam para a inspiração. Fazem assim, sem o suspeitarem, uma verdadeira evocação.” (Livros dos Espíritos, cap 9, segunda parte)
Traduzindo: você sempre terá algum espírito protetor a lhe acompanhar. Ele lhe orientará, sugerirá, influenciará em suas ações e crenças. Sempre respeitando seu livre arbítrio, inclusive quando as decisões forem contra as orientações dele.
Este processo acontece de forma sutil; diz-se que o espírito sussurra e, por isto, a consciência deve estar em silêncio para poder escutar. Desta forma, é comum um pensamento ser inspirado pelo espírito protetor, pelo próprio espírito ou pelas vibrações que estão em sintonia. Geralmente a pessoa nem percebe estas influências, mas elas existem.
Uma das funções dos espíritos protetores é influenciar o ser humano de modo a contrabalançar a influência externa (do meio social). Quando o ser humano "olha muito para fora" cria uma série de patologias e sofrimentos para si. É o que está acontecendo no momento presente na história.
Uma das funções dos espíritos é facilitar esta reconexão com o interior, com a vida espiritual e as experiências mais nobres do ser humano.

Autor: Regis Mesquita-Blog: Nascer Várias Vezes
www.nascervariasvezes.com/

“COMO CUMPRIR ÀS MISSÕES DE VIDA QUE VOCÊ PLANEJOU NO PLANO ESPIRITUAL ANTES DE NASCER??”

Antes de nascer, o espírito prepara sua encarnação com o auxílio de outros espíritos mais evoluídos. Juntos decidem: você vai reencarnar com quais objetivos? Quais as metas a serem conquistadas nesta nova etapa da vida?
Alguns podem nascer com a meta de aprender a controlar a raiva. Outros para controlar seu orgulho, etc. O espírito reencarna com vários objetivos a serem atingidos; estes objetivos são as MISSÕES DE VIDA.
A vida do espírito encarnado é preparada para que ele possa atingir estes objetivos, se enfrentar os desafios e aprender. A vida é uma sala de aula, e as missões de vida são as lições prioritárias a serem aprendidas.
Perguntas muito comuns: como posso descobrir as minhas missões de vida? O que posso fazer para cumprir cada uma delas?
“Marcelo Augusto era um bom pai, trabalhador e presente na vida dos filhos. Mesmo assim, quando acontecia algum problema em família ele tinha um desejo enorme de sair de casa e sumir da vida da mulher e dos filhos. Sua fantasia era que os filhos não gostavam dele e o abandonariam. Seus filhos tinham um, quatro e oito anos. Eram crianças pequenas, que o adoravam. Mas, a insegurança sempre reaparecia ao menor problema. Um dia ele ficou bravo com o filho mais velho e, impulsionado por uma angústia muito grande, trancou-se no quarto. Em pouco tempo, a vontade de ir embora era incontrolável. Saiu do quarto, pegou o carro e foi embora dizendo que nunca mais o veriam de novo. Ele dirigiu pela cidade e chegou a uma rodovia disposto a desaparecer de tudo e de todos. Um pensamento ficou reverberando na sua mente: “você vai começar tudo de novo? Tudo outra vez? Você vai fazer tudo igual de novo”? Aquele pensamento o chocou. Ele parou o carro na beira da estrada e tomou a decisão: “desta vez não vou desistir dos meus filhos”. Voltou para casa onde encontrou toda a família chorando. Depois dessa situação ele procurou a terapia.” (pág. 69)
A vida do Marcelo Augusto, uma das 43 descritas no livro Nascer Várias Vezes, mostra um conflito pessoal muito grande. Ele teve uma pequena desavença com o filho, o que  desencadeou uma tempestade emocional dentro dele. Ao mesmo tempo em que ele tentou fugir, um outro lado de sua mente emitiu um sinal diferente: “você vai fazer tudo igual de novo?”.
Antes de nascer, no plano espiritual, o espírito que encarnou como Marcelo Augusto decidiu que enfrentaria o desafio de construir e manter uma família unida, baseada no amor e no respeito mútuo. Para este espírito, com muitas encarnações com vidas familiares desastrosas, era um desafio muito importante e difícil. Uma de suas missões de vida era: nascer, crescer, casar e manter sua família unida. Ele era capaz de atingir este objetivo, mas teria que enfrentar suas limitações internas.
Regra um: toda missão de vida possui desafios a serem superados pelo espírito encarnado. Mesmo não sendo fácil, o espírito possui plenas condições de realizá-la. Jamais é dada a alguém uma missão que ele não pode cumprir.
Ou seja, para realizar a missão de vida a pessoa deve tornar-se melhor. Ela deve aprender e desenvolver qualidades e habilidades úteis ao espírito. Ninguém nasce 100% preparado para cumprir suas missões de vida (exceção dos espíritos de luz que encarnam como missionários). O objetivo da encarnação é que o espírito amadureça, aprenda e se desenvolva. Portanto, cada missão exige que a pessoa tenha condição de realizá-la; desde que desenvolva as habilidades e qualidades necessárias.
Regra dois: a imensa maioria das suas missões de vida está "na sua frente".  Está no seu presente, no aqui-agora. Se não estiver no seu presente, você realizará escolhas ou tomará decisões que te encaminhará até elas ou próximas delas. Todavia, o passo decisivo para realizá-la dependerá de sua escolha pessoal.
Explicando de uma forma mais simples: quase tudo que você vive está relacionado com suas missões de vida. Um homem largou a faculdade para ter dinheiro para comprar um carro. Toda sua família disse que aquilo era uma loucura, mas ele fez. Perdeu a oportunidade de melhorar de vida no futuro, para ter uma satisfação no presente. Ele não precisava saber de sua vida no plano espiritual para tomar a decisão de romper com a impulsividade e o imediatismo que dominava sua mente. Uma das suas missões de vida era lutar contra a impulsividade (querer tudo agora e não conseguir plantar algo para colher no futuro). A vida no aqui-agora, mostrava para ele esta necessidade. É muito importante prestar atenção na vida real, ela é o maior SINAL que indica quais qualidades que a pessoa deve desenvolver para cumprir suas missões de vida.
A vida é uma lição. Para aprender e vencer você deve fazer o que é necessário e não ficar escolhendo o tempo todo. A pessoa decide o que quer (quero ser advogado, vou fazer o curso de direito – por exemplo) quando a pessoa toma a decisão inicial (foco). Após a decisão inicial ela deve desistir de continuar decidindo; deve fazer o que é o necessário. Ela não pode decidir se assistirá aula ou não; ela deve enfrentar o desafio de assistir as aulas, pois este é o foco da decisão inicial. Tudo que te desviar do seu foco são dificuldades que você deve enfrentar para se tornar uma pessoa melhor. As dificuldades para atingir o foco te avisarão quais são as qualidades que você deve desenvolver para cumprir suas missões de vida.
Preste atenção: As dificuldades para atingir o foco te avisarão quais são as qualidades que você deve desenvolver para cumprir suas missões de vida.
Exemplo: Maria lutou muito para estudar. Com muita disciplina e perseverança ela conquistou seu diploma e foi promovida na empresa na qual trabalhava. Sua relação com a mãe, desde a infância, foi muito complicada e dolorosa. A mãe envelheceu e adoeceu. Maria cuidou da mãe até ela falecer. A disciplina que desenvolveu tornou mais fácil vencer o desafio de cuidar da mãe. Aos poucos, ela perdeu a raiva e a mágoa que guardava do espírito que era sua mãe e que já havia estado ao seu lado em outras encarnações. Ao cuidar da mãe nos momentos finais da vida é que conseguiu superar desavenças de várias encarnações e cumprir uma de suas missões de vida. Ter desenvolvido a disciplina foi fundamental para a escolha cuidar da mãe (se não tivesse disciplina, a raiva iria afastá-la da mãe; e se não cuidasse da mãe não conseguiria superar a raiva dentro dela). Houve também outros SINAIS (que explicarei mais à frente).
Resumindo: você não precisa se lembrar do plano espiritual e saber quais são suas missões de vida porque cada momento da vida traz desafios que devem ser vencidos e que estão relacionados direta ou indiretamente com as suas missões de vida. Preste atenção no seu presente e aprenda as lições que a vida quer te ensinar. Se você realizar esta tarefa “simples”, você estará cumprindo suas missões de vida.
Todavia, é muito importante entender o que são os sinais.  Quase todos os sinais são informações que seu espírito manda para sua consciência. Marcelo Augusto recebeu esta informação de forma clara e objetiva; “ele ouviu” uma frase na sua mente e, por causa dela, voltou para casa (sobre este ouvir, leia aqui).
Para entender os sinais: “Você é muito maior do que suas poucas décadas de vida. Existe muita sabedoria acumulada ao longo de milênios. Parte desta sabedoria está inscrita em sua mente. O espírito que você é cumpre o papel de influenciar sua mente desde a concepção até hoje. A “disputa” é: quanto desta sabedoria será capaz de influenciar sua consciência?”  ( do texto: Para evoluir é necessário reencontrar a autenticidade do próprio espírito )
Ou seja, o espírito fica o tempo inteiro interagindo com o corpo/mente/consciência. Se a pessoa escutá-lo, será mais fácil perceber os sinais. Se ela se mantiver alienada, confusa ou com a mente desequilibrada será muito mais difícil perceber os sinais.
Existem vários tipos de sinais. Pode ser, por exemplo, a lembrança de alguém – algumas vezes estas lembranças são estimuladas pelo espírito com a finalidade de levá-lo a ficar mais próxima desta pessoa. Pode ser a sensação de bem estar ou mal estar perto de uma pessoa, sem que haja motivo aparente. São milhares de tipos de estímulos, porque o espírito estimula o corpo, os sentimentos, as sensações e as intuições o tempo inteiro. Com isto, acaba por direcionar a vida da pessoa para as proximidades das situações necessárias para realizar as missões de vida (livro com mais detalhes deste processo de direcionamento).
Casais que possuem o planejamento de se juntarem durante a reencarnação - planejamento realizado no plano espiritual - podem se conhecer em meio a milhares de pessoas. Ao se verem, o espírito estimula a consciência a se aproximar daquela pessoa. O espírito tem inscrito nele sua missão de vida e estimulará para que ela aconteça. O estímulo pode se transformar em ação ou não. Daí a importância de aprender a “escutá-lo”.
Atenção:  A consciência tem sempre a palavra final. O espírito pode, por exemplo, estimular a pessoa a se aproximar de outra para realizar sua missão de vida. A consciência decide. Ela pode decidir se aproximar, ou pode decidir ir para o bar pegar mais uma cerveja. O espírito emite sinais, dicas, tendências, interesses, sensações; mas quem decide é a consciência. É o livre arbítrio.
Os sinais mais poderosos são os potenciais que você traz dentro de si e que podem ser desenvolvidos ou não. Os potenciais são formados por recursos desenvolvidos em outras encarnações e que se forem estimulados desenvolvem rapidamente. Liderança, paciência, percepção de risco e centenas de outras qualidades e habilidades podem estar dentro de você como potenciais.  Estes potenciais desenvolvem se forem estimulados. Caso contrário, permanecem apenas como potenciais.
O espírito age para que você cumpra suas missões de vida. Ele te encaminha para o caminho que você tem que trilhar. Para caminhar por este caminho é necessário desenvolver qualidades e habilidades (além de aproveitar os potenciais pessoais). Estas qualidades e habilidades são desenvolvidas no dia-a-dia, a partir da realidade da vida. Se a pessoa aprender as lições que a vida quer ensinar e for coerente com suas decisões iniciais, irá necessariamente se fortalecer e desenvolver as qualidades que necessitará para realizar e ter sucesso em suas missões de vida.
Suas missões de vida estão na sua frente; estão presentes nos desafios que você enfrentará no seu dia-a-dia. Estão presentes nos sinais que receberá do seu espírito e “da vida”. Preste atenção nos sinais e tenha coragem de se tornar uma pessoa melhor a cada desafio.
Autor: Regis Mesquita-

Fonte: Blog Nascer Várias Vezes
www.nascervariasvezes.com/

“A REENCARNAÇÃO E A PSICOGRAFIA FORAM EVIDENCIADAS EM MAPEAMENTO CEREBRAL POR TOMOGRAFIA”

Á medida em que se aperfeiçoam os equipamentos de estudo do cérebro, e estes são aplicados no estudo da natureza espiritual do ser humano, mais se constata que o homem é muito mais do que o seu corpo físico. Acumulam-se, a cada dia, através de diversos pesquisadores, as evidências em favor da Doutrina dos Espíritos, codificada por Allan Kardec.
        Vejamos, abaixo, três reportagens que exemplificam bem este fato.
Reportagem do site do Globo Repórter:
“Viagens a um passado que transcenderia ao nosso corpo físico. Teria a nossa memória um arquivo secreto de momentos que não experimentamos nesta vida? O homem carrega com ele lembranças de vidas passadas? Especialistas em terapias que utilizam a técnica da regressão estão tentando desvendar esse mistério.
Os psicólogos paulistas Manoel Simão e Júlio Peres fizeram o mapeamento cerebral de alguns dos seus pacientes, durante as sessões de regressão, usando aparelhos de tomografia computadorizada. Foi uma experiência inédita. E o que revelaram os exames?
A área do cérebro ativada quando os pacientes entram em uma hipotética vida passada é a da memória. A parte que comanda os circuitos da imaginação, durante a regressão, não entra em atividade, garante o psicólogo.
"As vias neurofisiológicas utilizadas para o resgate de memórias traumáticas de vida atual foram também utilizadas para o resgate de situações traumáticas de vidas passadas - supostas vidas passadas. Os circuitos neurofisiológicos que estão relacionados à fantasia são outras estruturas”, explica o psicólogo Júlio Peres.
O publicitário Tertuliano Pinheiro se submeteu à regressão e diz ter se encontrado em duas outras existências. "A primeira vivência foi na Roma Antiga. Utilizava o poder para praticar o mal. Vivia emitindo ordens. Ouvia os gritos das pessoas. Foram muitos erros cometidos. Exercia o poder da forma mais errada. Ele tomou bens", revela.
Ao descobrir tudo isso, Tertuliano encontrou o caminho para se livrar de todas as suas aflições. A depressão, o medo do escuro, o pânico, tudo desapareceu. “Hoje eu sou outra pessoa, de bem com a vida. Sem dúvida isso aconteceu por causa da regressão. Não é questão de achar, é de sentir", diz o publicitário.
Sentir, mergulhar em uma memória desconhecida sem perder a consciência. Isso seria mesmo possível? "Não importa o nome que se atribua a esse conteúdo. De fato, ele é verdadeiro, genuíno para o paciente, porque ele dispara emoções. E o paciente se liberta de dificuldades a partir do resgate dessas situações", explica o psicólogo Júlio Peres.”
Reportagem publicada na revista ISTOÉ de 10/07/02 e extraída do site:
Há dois anos, ISTOÉ divulgou o primeiro mapeamento de ondas cerebrais feito durante uma sessão de regressão (ISTOÉ 1594). O estudo do psicólogo Júlio Peres, do Instituto de Terapia Regressiva Vivencial Peres, de São Paulo, mostrava que a atividade cerebral é muito lenta, mesmo quando o paciente mostra reações como suor e taquicardia. Na época, Peres anunciou uma parceria de pesquisa com a Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, para monitorar o fluxo sanguíneo e as estruturas cerebrais acionadas durante a regressão. Quatro mulheres e dois homens sadios, com idades entre 28 e 39 anos, se submeteram a uma tomografia com emissão de radiofármaco (método spect), realizada no Hospital Beneficência Portuguesa, em São Paulo. Depois, seus exames foram analisados pelo médico Andrew Newberg, especialista em estados modificados de consciência da universidade americana. Finalizados, os estudos revelaram que as áreas do cérebro mais requisitadas neste processo são as do lobo médio temporal e as do lobo pré-frontal esquerdo, que respondem pela memória e pela emoção. É mais um passo na busca de comprovação de que essas experiências não são fruto da imaginação. “Se o paciente estivesse criando uma história, o lobo frontal seria acionado e a carga emocional não seria tão intensa”, explica Peres.
         O site da revista época publicou, em 19 de Novembro do ano passado, uma reportagem que relata a experiência de vários cientistas com médiuns, durante a realização da psicografia (quando o Espírito escreve através do médium). Os resultados surpreenderam os cientistas. Abaixo, transcrevemos parte da reportagem:
“Durante dez dias, dez médiuns brasileiros se colocariam à disposição de uma equipe de cientistas do Brasil e dos EUA, que usaria as mais modernas técnicas científicas para investigar a controversa experiência de comunicação com os mortos. Eram médiuns psicógrafos, pessoas que se identificavam como capazes de receber mensagens escritas ditadas por espíritos, seres situados além da palpável matéria que a ciência tão bem reconhece. O cérebro dos médiuns seria vasculhado por equipamentos de alta tecnologia durante o transe mediúnico e fora dele. Os resultados seriam comparados. Como jornalista, fui convidada a acompanhar o experimento. Estava ali, cercada de um grupo de pessoas que acreditam ser capazes de construir pontes com o mundo invisível. Seriam eles, de fato, capazes de tal engenharia?
A produção de exames de neuroimagem (conhecidos como tomografia por emissão de pósitrons) com médiuns psicógrafos em transe é uma experiência pioneira no mundo. Os cientistas Julio Peres, Alexander Moreira-Almeida, Leonardo Caixeta, Frederico Leão e Andrew Newberg, responsáveis pela pesquisa, garantiam o uso de critérios rigorosamente científicos. Punham em jogo o peso e o aval de suas instituições. Eles pertencem às faculdades de medicina da Universidade de São Paulo, da Universidade Federal de Juiz de Fora, da Universidade Federal de Goiás e da Universidade da Pensilvânia, na Filadélfia. Principal autor do estudo, o psicólogo clínico e neurocientista Julio Peres, pesquisador do Programa de Saúde, Espiritualidade e Religiosidade (Proser), do Departamento de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da USP, acalentava a ideia de que a experiência espiritual pudesse ser estudada por meio da neuroimagem.
Numa sala com aviso de perigo, alta radiação, começaram os exames. Por meio do método conhecido pela sigla Spect (Single Photon Emission Computed Tomography, ou Tomografia Computadorizada de Emissão de Fóton Único), mapeou-se a atividade do cérebro por meio do fluxo sanguíneo de cada um dos médiuns durante o transe da psicografia. Como tarefa de controle, o mesmo mapeamento foi realizado novamente, desta vez durante a escrita de um texto original de própria autoria do médium, uma redação sem transe e sem a “cola espiritual”. Os autores do estudo partiam da seguinte hipótese: uma vez que tanto a psicografia como as outras escritas dos médiuns são textos planejados e inteligíveis, as áreas do cérebro associadas à criatividade e ao planejamento seriam recrutadas igualmente nas duas condições. Mas não foi o que aconteceu. Quando o mapeamento cerebral das duas atividades foi comparado, os resultados causaram espanto.”
“Surpreendentemente, durante a psicografia os cérebros ativaram menos as áreas relacionadas ao planejamento e à criatividade, embora tenham sido produzidos textos mais complexos do que aqueles escritos sem “interferência espiritual”. Para os cientistas, isso seria compatível com a hipótese que os médiuns defendem: a autoria das psicografias não seria deles, mas dos espíritos comunicantes. Os médiuns mais experientes tiveram menor atividade cerebral durante a psicografia, quando comparada à escrita dos outros textos. Isso ocorreu apesar de a estrutura narrativa ser mais complexa nas psicografias que nos outros textos, no que diz respeito a questões gramaticais, como o uso de sujeito, verbo, predicado, capacidade de produzir texto legível, compreensível etc.”
ENDEREÇO ELETRÔNICO CONSULTADO:
http://www.istoe.com.br/reportagens/26515_DE+VOLTA+AO+PASSADO
http://grep.globo.com/Globoreporter/0,19125,VGC0-2703-43-2-1103,00.html
Fonte: Espiritismo para Iniciantes. Por: Fábio José Lourenço Bezerra
Em: 13/12/2013

espiritismoparainiciantes.blogspot.com/