Seguidores

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

"OS TEMPOS SÃO CHEGADOS."

Viça por toda a  parte, e  é  geral, o  desconforto que toma conta das pessoas, a falta de ética, a ausência do interesse em proporcionar o bem estar ao semelhante, pelo menos de uma grande parte de pessoas, mesclado pela mesquinhez, pela ostentação do poder que, infelizmente, paira sobre a cabeça do ser humano onde os interesses próprios vem à frente dos interesses dos mais necessitados.
Essa grita é geral, é geral essa preocupação pelo descaso que vimos observando já há algum tempo, descaso esse que vem aumentando a cada dia para com o ser humano, que é relegado a planos inferiores em detrimento a interesses outros e, porque não dizer, escusos.
Pessoas abandonadas que tem como teto as estrelas, outros há que abrigam-se debaixo de pontes, viadutose marquises, o pão que falta à mesa de muitos, idosos abandonados  em asilos , casas de repousos e em suas próprias casas, pois, ninguém se importa com eles, doentes que se encontram nas filas de hospitais, onde muitos tem a sorte de serem atendidos depois de muito esperar, outros que por não ter a mesma sorte, padecem e morrem nos corredores do hospitais.
Os leitores, provavelmente, já desenharam em suas mentes o perfil de cada um responsável por essas situações calamitosas que a muitos fazem sofrer, mas, chamamos a atenção de que a lei de “causa e efeito” ainda está em vigor e que cada responsável terá que fazer suas colheitas e muitos, talvez, nem tenham a oportunidade de outras reencarnações, para ressarcir esses débitos que já há anos vem vilipendiando seus semelhantes. A mídia, a cada dia, mostra inúmeros casos desses desrespeitos ao ser humano e, se para uns isso não acontecer, acontecerá um expurgo para outros mundos, onde esses que, inadvertidamente,
aproveitam das situação da ignorância dos menos favorecidos, possivelmente irão habitar outras paragens para o ressarcimentos de seus débitos, pois o tempo urge e talvez não haja mais tempo para novos reencarnes no planeta Terra.
Já há muito, vimos ouvindo da Espiritualidade que deveremos passar de Planeta de Provas e Expiações
para o mundo de Regeneração, mas, para que isso aconteça, cada um de nós deverá ter a consciência de sermos coparticipes de uma modificação geral e necessária para esse acontecimento.
Teremos que extinguir a cultura do ódio, nas mais diversas áreas do mundo.
Devemos deixar de reclamar tanto, pois, não podemos deixar de nos lembrar que Deus não escolhe os habilitados, mas habilita os escolhidos,  portanto, faça por merecer aquilo que pede.
Os maus tratos deverão deixar de existir e teremos que começar a pensar de forma inversa para com nossos irmãos mais necessitados, não esquecendo o recomendado por Jesus quando Ele disse: “ tudo aquilo que fizerdes a esses mais necessitados, que estavam presos e me visitastes, que  estavam doentes e me visitastes, que estavam com frio e me aqueceram, que estavam com fome e sede e deram de comer e de beber, foi a mim que o fizestes.”
Abandonar os atritos, se quisermos não chegar a adotar as atitudes extremas.
Deixar as recusas de atenção e cordialidade àqueles que mais devemos considerações e amor, procurando implantar a harmonia.
Abandonar o pessimismo e acreditar mais em nós mesmo, sem queixas desnecessárias, nem tampouco criando obstáculos onde poderíamos executar grandes realizações, mirando horizontes espirituais mais  dignos para nossa elevação espiritual.
Reivindicações menos dignas e desinteligentes deverão ser banidas, pois, já é hora de entendermos que devemos recorrer aos espíritos para coisas mais sérias e dignas, buscando a sabedoria Divina, reunindo os mais altos objetivos na edificação do bem, seja no círculo doméstico, no grupo de serviço ou no ideal que almejamos.
Censuras comuns em nossas atitudes diárias deverão ser transformadas em pré-disposição e ajuda àqueles que passam por nossas vidas, merecendo sempre dentro da ponderação e bom senso, o aproveitamento das ideias e saber transformá-las em possíveis lições de aprendizado mútuo e comum aos homens.
Abandonar conflitos, reprovações para atuarmos em faixas mais nobres de reconhecimento, respeito aos limites de cada ser, canalizando os potenciais de que cada um se faz portador, auxiliando sempre para que os desastres morais não mais comprometam a vida comunitária, desentendimentos e perturbação que só nos levam a obter baixas vibrações, imantando o negativismo, inibindo os avanços à multiplicação dos talentos que cada um é portador.
Observemos, pois, que há muito trabalho a ser feito para a implantação do mundo de Regeneração e que é necessário nos dediquemos às soluções de problemas de nossas mais dignas e fortes forças, buscando esquecer de nós próprios em certas ocasiões e mirando nossos melhores sentimentos naqueles que estão engajados e dispostos nessa tarefa de modificação, procurando sermos mais úteis àqueles que nos cercam, até nos convencer que a segurança e o êxito de variadas receitas de progresso e elevação, solicitam do trabalhador incansável a fidelidade ao programa estabelecido para atingirmos o alvo da Plenitude, onde devemos atuar em toda parte, a favor de nós e de nossos semelhantes, aos preceitos estabelecidos pelo Rabi da Galiléia, conseguindo agir dessa forma, a fim de nos tornarmos um soldado a mais a engrossar as fileiras do progresso Espiritual e sermos verdadeiros batalhadores em prol da modificação do Planeta.  
Meus caros e fiéis leitores, juntei a estas breves palavras de “necessidades” a serem adotadas, a mensagem do incansável mestre Dr. Bezerra de Menezes, quando se pronunciou por intermédio do médium Divaldo Pereira Franco, em reunião pública no Centro Espírita Internacional, em Brasília no dia 19 de abril de 2010, onde nos deparamos que a era da transformação é chegada e necessária a implantação que está se processando no Planeta Terra, para o resgate da dignidade humana, onde o laço de solidariedade entre os dois planos se estreitam e espíritos de escol se desdobram para a concretização desse objetivo.
O trânsito entre os dois planos se faz acelerado, como afirma nosso querido Bezerra, os guardiães estão tomando seus postos ao lado de cada ser, encarnado ou desencarnado, para que esse ato se cumpra, o tempo está findando, onde novas ordens planetárias começaram a se estabelecer.
Ismael, o mentor espiritual do Brasil, desde os tempos da descoberta, emocionado se pronunciou a representantes espirituais de todas as nacionalidades, revelando os planos de Jesus relacionadas à cristianização dos homens. Conforme recomenda Bezerra, o trabalho se delineia e requer que redobremos a atenção para os acontecimentos que virão, estejamos a postos como um foco de luz, semelhante ao farol que serve de guia às naus em rudes noites escuras, cumpramos a nossa parte, porque os gritos serão ouvidos e ecoarão pelos quatro cantos  do Universo, não nos envolvamos em falsas ilusões, pois, o expurgo se faz necessário para que a implantação do reinado de Paz, Harmonia e Amor entre os homens aconteça.
Todos temos nas mãos o farol que necessitamos para guiar: “ O Evangelho”.
Façamos bom uso dele, para dentre os inúmeros gritos de “ais” que serão ouvidos, não sejam os
nossos, por não termos aproveitado as lições da Boa Nova, nem tampouco as lições trazidas pelos Espíritos, “os grandes repórteres do além”.
Vejamos, assim a mensagem de Bezerra.
“ Irmãos amigos, devotados obreiros da seara de Jesus! Abraçando-os em nome dos trabalhadores do lado de cá, rogamos ao Mestre Amigo bênçãos de paz para todos!
Os novos tempos em transcurso no plano físico anunciam uma era de transformações necessárias à implementação do processo evolutivo do ser humano.
Os dois planos da vida se irmanam e laços de solidariedade se estreitam, tendo em vista os acontecimentos previstos.
Em atendimento aos compromissos firmados por orientadores do Planeta, almas abnegadas se desdobram em atividades, definindo responsabilidades e tarefas a serem desenvolvidas em épocas específicas.
Não longe, porém, nas regiões purgatoriais de sofrimento que assinalam o perfil dos seus habitantes, no mundo espiritual, almas se agitam, movimentam-se, produzindo ruídos e clamores na expectativa de se beneficiarem, de alguma forma, com a programação que o Alto determina.
Desassossegados, temem as mudanças que já lhes foram anunciadas e, por não saberem ainda administrar emoções e desejos, dirigem-se às praças públicas e aos templos religiosos de diferentes interpretações para debaterem e opinarem: ora aceitam os ventos das mudanças, ora se rebelam, posicionando-se contra elas.
Nesse processo, influenciam os encarnados que lhes acatam as opiniões vacilantes e, ao mesmo tempo, são por eles influenciados.
O certo é que a Humanidade chegou a um ponto de sua caminhada evolutiva que não mais se lhe permite retrocesso de qualquer natureza.
Trata-se de uma população heterogênea constituída de almas esclarecidas e de outras em processo de reajuste espiritual. As primeiras revelam-se iluminadas pelo trabalho desenvolvido na fieira dos séculos, quando adquiriram recursos superiores de inteligência e de moralidade.
Retornam à reencarnação para exercer influência positiva sobre as mentes que se encontram em processo de reparação, necessitadas de iluminação espiritual.
A atual Humanidade será pouco a pouco mesclada por esses dois grupos de Espíritos reencarnantes.
Inicialmente na sua terça parte, abrangendo todo o Planeta, depois, dois e três terços. O trânsito entre os dois planos estará significativamente acelerado.
Um trânsito de mão dupla, acrescentamos, pois coletividades de encarnados também retornarão à Pátria verdadeira.
Anunciam-se, então, o processo renovador de consciências por meio de provações, algumas acerbas. Uma operação de decantação que visa selecionar os futuros habitantes do Planeta, aqueles que deverão viver os alvores da Era da Regeneração.
A massa humana de sofredores, de Espíritos empedernidos, repetentes de anteriores experiências, retornará à gleba terrestre em cerca de cinquenta anos, mas os guardiães da Terra estarão a postos, ao lado de cada encarnado ou desencarnado convocando-os à transformação para o bem.

É a Era do Espírito, anunciada a clarinadas na manhã do dia de ontem, 18 de abril de 2010, no momento em que o sol lançava os seus primeiros raios à Terra. Em região muito próxima ao plano físico, habitantes do Além quase que se fundiram com a humanidade encarnada para, em reunião de luz e vibração amorosa, ouvir o mensageiro de Jesus que lhes traçou as diretrizes de uma nova ordem planetária, que ora começa a se estabelecer.  Ismael falou emocionado para os representantes de todas as nacionalidades, logo após a manifestação clamorosa Revelou planos de Jesus relacionados à cristianização dos homens. Ao final da abençoada assembleia, Espíritos valorosos deram-se as mãos, envolvendo  Planeta em suas elevadas vibrações, transformadas em pérolas que caiam do alto sobre os seus habitantes, atingindo-lhes a fronte na forma
de Serafina luminosidade.
Estejam, pois, atentos para os acontecimentos, meus filhos. Reflitam a respeito do trabalho que se
delineia e, do posto de serviço onde se encontrem, sejam, todos e cada um, foco de luz, ponto de apoio.
Ouçam as vozes do céu, pois estão marcados pela luz dos guardiões planetários.
Façam a parte que lhes cabem.
Sejam bons, honestos, laboriosos, fraternos.
Os dias futuros de lutas e dores assemelham-se aos “ais” apocalíptico implorando pela união, compaixão e misericórdia, individual e coletiva.
Assim, irmãos e amigos, não cometam o equívoco de olhar para trás, mas coloquem as mãos na charrua do Evangelho e sigam adiante.
Não repitam a experiência da mulher de Ló, o patriarca hebreu que, possuidora de fé frágil, olhou para trás em busca dos prazeres perdidos, transformando-se em estátua de sal, desiludida pela aridez das falsas ilusões.
Façam brilhar a própria luz, meus filhos! Este é o clamor do Evangelho, hoje e sempre!...”
Bezerra de Menezes-Brasília, 19 de abril.-Reunião pública no Centro-Espírita Internacional – Comunicação psicografada por Divaldo

Nossos desejos  a  todos de muita paz.                                                                                                                                                                            ( Alfredo Zavatte.      Fórum Espírita