Seguidores

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

“LIBERDADE E OBSESSÃO”

Em se tratando de obsessão e liberdade sempre haverá o que reavaliar.
O livro Roteiro, ditado por Emmanuel ao grande médium Francisco Cândido Xavier, traz lições altamente esclarecedoras a respeito do intercâmbio mental entre as criaturas humanas, estejam elas encarnadas ou desencarnadas.
No capítulo vinte e cinco da referida obra, intitulado “Ante a vida Mental”, entre outras coisas, encontramos:
“A mente é manancial vivo de energias criadoras.
O pensamento é substância, coisa mensurável.
Encarnados e desencarnados povoam o Planeta, na condição de habitantes dum imenso palácio de vários andares, em posições diversas, produzindo pensamentos múltiplos que se combinam, que se repelem ou que se neutralizam.
Correspondem-se as ideias, segundo o tipo em que se expressam, projetando raios de força que alimentam ou deprimem, sublimam ou arruínam, integram ou desintegram, arrojados sutilmente do campo das causas para a região dos efeitos.
Quem mais pensa, dando corpo ao que idealiza, mais apto se faz à recepção das correntes mentais invisíveis, nas obras do bem ou do mal.
E, em razão dessa lei que preside à vida cósmica, quantos se adaptarem, ao reto pensamento e à ação enobrecedora, se fazem preciosos canais da energia divina, que, em efusão constante, banha a Humanidade em todos os ângulos do Globo, buscando as almas evoluídas e dedicadas ao serviço de santificação, convertendo-as em médiuns ou instrumentos vivos de sua exteriorização, para benefício das criaturas e erguimento da Terra ao concerto dos mundos de alegria celestial.”
E no capítulo seguinte, o de número vinte e seis, intitulado “Afinidade”, esclarece o Grande Benfeitor como que a complementar o acima transcrito:
“O homem permanece envolto em largo oceano de pensamentos, nutrindo-se de substância mental, em grande proporção.
Toda criatura absorve, sem perceber, a influência alheia nos recursos imponderáveis que lhe equilibram a existência.
Em forma de impulsos e estímulos, a alma recolhe, nos pensamentos que atrai, as forças de sustentação que lhe garantem as tarefas no lugar em que se coloca.
De modo imperceptível, “ingerimos pensamentos”, a cada instante, projetando, em torno de nossa individualidade, as forças que acalentamos em nós mesmos.
Por isso, quem não se habilite a conhecimentos mais altos, quem não exercite a vontade para sobrepor-se às circunstâncias de ordem inferior, padecerá, invariavelmente, a imposição do meio em que se localiza.
Se nos confiamos às impressões alheias de enfermidade e amargura, apressadamente se nos altera o “tônus mental”, inclinando-nos à franca receptividade de moléstias indefiníveis.
Se nos devotamos ao convívio com pessoas operosas e dinâmicas, encontramos valioso sustentáculo aos nossos propósitos de trabalho e realização.
Falamos sempre ou sempre agimos pelo grupo de espíritos a que nos ligamos.
Somos obsidiados por amigos desencarnados ou não e auxiliados por benfeitores, em qualquer plano da vida, de conformidade com a nossa condição mental.
Daí o imperativo de nossa constante renovação para o bem infinito.
Trabalhar incessantemente é dever.
Servir é elevar-se.
Aprender é conquistar novos horizontes.
Amar é engrandecer-se.
Trabalhando e servindo, aprendendo e amando, a nossa vida íntima se ilumina e se aperfeiçoa, entrando gradativamente em contato com os grandes gênios da imortalidade gloriosa.”
Estas informações são claríssimas, e seria de muito valor revisarmos os referidos capítulos integralmente, quando não o livro todo, para que possamos entender, definitivamente, que os processos obsessivos, ou a experiência da liberdade espiritual, começam em nosso próprio mundo mental, e consequentemente nas ações que perpetramos, porque estas sempre serão construções assentadas sobre o alicerce chamado pensamento.
Pensemos nisso.

Antônio Carlos Navarro

“MUNDO MATERIAL E MUNDO ESPIRITUAL ”

Questionados os Espíritos da Codificação se existiriam dois elementos gerais no Universo, a matéria e o espírito. Os Espíritos respondem que sim e acima de tudo Deus, o Criador, o Pai de todas as coisas. Esses três elementos constituem a trindade universal.
4. Vivemos no Universo em que se apresenta em duas formas: uma material, no qual vivem os encarnados, e outra espiritual, na qual habitam os seres ditos “mortos”, melhor dizendo, desencarnados, ou seja, aqueles que já se despojaram do corpo físico.
5. Mundo Espiritual
6. Mundo Material
7. FLUIDO CÓSMICO UNIVERSAL Segundo “A Gênese”: “O fluido cósmico universal ... é a matéria elementar primitiva, da qual as modificações e transformações constituem a inumerável variedade dos corpos da natureza. Como princípio elementar universal, oferece dois estados distintos: o de eterização ou de imponderabilidade, que se pode considerar como estado primitivo, e o de materialização ou ponderabilidade que é, de certa maneira, consecutivo àquele.
8. O ponto intermediário é o da transformação do fluido em matéria tangível, porém, ainda neste assunto, não há transição brusca, pois se pode considerar nossos fluidos imponderáveis como um termo médio entre os dois estados.” (Imponderabilidade: qualidade do que não pode ser pesado)
9. Só para lembrar... MATÉRIA Não cabe neste estudo um aprofundamento a respeito da matéria e do mundo material, pois é objeto da Ciência terrena. A matéria por nós conhecida e sobre a qual a Física se debruça é formada por moléculas que, por sua vez, são agrupamentos de átomos.
10. Só para lembrar... MOLÉCULA é a menor parte de uma substância que mantém as características dessa substância. Por exemplo: a molécula da água formada por 2 átomos de hidrogênio e 1 átomo de oxigênio é H2 O. A água pode se apresentar nos estados sólido (gelo), líquido (água) e gasoso (vapor). Em qualquer um desses, a molécula da água será sempre H2 O.
11. Só para lembrar... Nos estudos da Física e da Química existem hoje os estados sólido, líquido, gasoso e o irradiante ou plasma. Modernamente, chega-se até os quarks (partículas formadas pela decomposição dos nêutrons, prótons e elétrons). Aglutinações de quarks formam todas as partículas subatômicas conhecidas; no entanto, os quarks não são partículas elementares, pois não são indiferenciadas e, ao que nós sabemos (1992) a Ciência para aqui, por enquanto.
12. O MUNDO ESPIRITUAL – FLUIDOS ESPIRITUAIS F.C.U. é o princípio material que permeia todo o Universo e como princípio elementar do Universo ele assume dois estados distintos: de eterização ou de imponderabilidade, de materialização ou de ponderabilidade.
13. Esses estados dão origem a fenômenos especiais: • Materialização: pertence os fenômenos do mundo visível – são os fenômenos materiais que são estudados pela nossa ciência (Física e Química).• Eterização: pertence os fenômenos do mundo invisível, chamados de fenômenos espirituais ou psíquicos. Estes se ligam especialmente à existência dos Espíritos e estão na atribuição do Espiritismo.
14. VIDA ESPIRITUAL e VIDA CORPORAL em contato permanente... Espíritos desencarnados no plano espiritual e no material
15. Espíritos encarnados vivem no plano material ...e vão ao plano espiritual
16. DANDO-LHES FORMA:• Temporárias – Espíritos que se apresentam decapitados, coxos, enfermos, com cicatrizes, membros amputados etc.• Permanentes – cidades no mundo espiritual - elaboração de Espíritos Superiores.
17. Mundo Espiritual
18. DANDO-LHES DIREÇÃO: Os Espíritos, pelo pensamento podem dar uma direção aos fluidos, ou seja, podem aglomerar, combinar ou dispersar. Essa direção também pode ser dada pelos encarnados, através do pensamento e ampliada pelas preces. É o que ocorre quando estamos irradiando para determinada pessoa.
19. MUDANDO-LHES AS PROPRIEDADES Os Espíritos, pela ação do pensamento mudam as propriedades dos fluidos, como um químico, utilizando os seus meios, para alterar as características dos gases ou demais matérias.
20. No MUNDO ESPIRITUAL como NO MUNDO MATERIAL, a ação vai depender da competência e do saber. Espírito ignorante: pouco conhece dessas possibilidades Se consegue provocar mudanças, o faz de maneira automática...
21. QUALIDADE DOS FLUIDOS: MORAL E FÍSICA HÁLITO MENTAL• Os fluidos não têm qualidades sui-generis .• São basicamente neutros.• São modificados pelos pensamentos dos Espíritos.• Os fluidos estarão impregnados das qualidades boas ou más dos pensamentos... são modificados pela pureza ou impureza de sentimentos.
22. MAUS PENSAMENTOS corrompem os fluidos espirituais, como os miasmas deletérios corrompem o ar respirável. Espíritos imperfeitos, aqueles que ainda pensam no mal e o praticam estão rodeados e projetam fluidos viciados.
23. BONS PENSAMENTOS saneiam os fluidos espirituais, como uma corrente de ar puro. Bons Espíritos, de acordo com sua elevação moral, são rodeados e projetam fluidos tão puros quanto o permitam a sua perfeição moral.
24. BONS PENSAMENTOS saneiam os fluidos espirituais, como uma corrente de ar puro. Bons Espíritos, de acordo com sua elevação moral, são rodeados e projetam fluidos tão puros quanto o permitam a sua perfeição moral.
25. SOB O PONTO DE VISTA MORAL os fluidos trazem a impressão dos sentimentos de ódio, inveja, ciúme, orgulho, egoísmo violência, hipocrisia, bondade, benevolência, amor, caridade, compaixão etc. SOB O PONTO DE VISTA FÍSICO São calmantes, penetrantes, adstringentes, irritantes, dulcificantes, soporíficos, narcóticos, tóxicos, reparadores, expulsivos...
26. LEMBRAR QUE: nossos pensamentos, como encarnados, também agem sobre os fluidos... e conforme sejam bons ou maus, saneiam ou viciam os fluidos circundantes.
27. Se o Espírito modifica os fluidos ambientes, pelo pensamento modifica ainda mais o seu envoltório, o perispírito, que é parte constitutiva do seu ser e originário do FCU. . . . . . . . .O nosso perispírito será sempre aquilo que somos enquanto não nos modificarmos como Espírito. Temos, assim, as qualidades que fazemos por merecer.
28. Resulta daí, a importância de sempre estar em sintonia com o bem, a prática do amor e da caridade como nos ensinou o Mestre Jesus.

Fonte. O Livro dos espíritos

"MICROCEFALIA E ABORTO. A LIGAÇÃO DO ESPÍRITO."

Antes de abordarmos a questão espiritual ligada à condição da microcefalia, façamos algumas considerações gerais básicas para podermos inserir, adequadamente, as explicações espíritas.
Conceito de Microcefalia: Microcefalia é uma condição neurológica em que a cabeça e o cérebro da criança são bem menores do que os de outras da mesma idade e sexo. O cérebro não cresce o suficiente durante a gestação ou após o nascimento. Dependendo da gravidade da má-formação, podem surgir complicações como déficit cognitivo grave, comprometimento visual, auditivo e da fala, hiperatividade, baixo peso e estatura (nanismo) e  convulsões (epilepsia).
A microcefalia pode ter como causa fatores genéticos e ambientais. Pode ser congênita, isto é, por fatores que atuaram via placentária, por exposição a substâncias nocivas no decorrer da gravidez ou ser adquirida nos primeiros anos de vida por diversos fatores. Sejam quais forem os fatores, sabemos que neste bebê está presente um Espírito que retorna ao mundo físico necessitando de amor e amparo, independentemente das origens espirituais do problema.  
A microcefalia hereditária pode ser causada por diversas síndromes genéticas, conhecida como microcefalia verdadeira, vera ou primária, para manifestar o transtorno, a criança precisa herdar uma cópia do gene defeituoso do pai e outra da mãe, que não manifestavam a doença (genes recessivos).          
Como espíritas, sabemos que os genes estavam contidos em células reprodutoras, mas foram atraídos pelo campo vibratório das matrizes perispirituais enfermas do Espírito reencarnante. Este está retornando ao mundo físico para drenar ao corpo biológico uma desarmonia, visando à resolução da mesma.     
Existe, também, a microcefalia associada a causas secundárias, que determinam o fechamento prematuro das moleiras (fontanelas) e das suturas entre as placas ósseas do crânio, o que impede o crescimento normal do cérebro.  Esta condição denomina-se craniossinestose, que pode afetar o feto dentro do útero, ou depois do parto, quando o cérebro ainda está em acelerado processo de formação. O Espírito reencarnante sempre modela, inconscientemente, o corpo físico pelo perispírito, portanto, a anomalia decorre de desestruturação energética do corpo astral que pode advir de traumas graves não bem assimilados pelo psiquismo do Espírito ou atitudes que geraram lesões em si ou em outrem e agora constituem campos perispirituais modeladores da forma em desequilíbrio.     
Outras causas secundárias da microcefalia são: durante a gravidez, consumo de cigarro, álcool e outras drogas ou de alguns medicamentos, doenças infecciosas como rubéola, toxoplasmose, citomegalovírus, herpes zoster, entre outras. Há ainda a possibilidade de se adquirir a microcefalia por intoxicação por mercúrio, fenilcetonúria materna não controlada, exposição à radiação, desnutrição materna, má-formação da placenta, traumatismo cranioencefálico e hipóxia grave (falta de oxigenação nos tecido e no sangue).      
Atualmente, esta má-formação está sendo mais comumente resultado da infecção pelo zika vírus, transmitido pelo Aedes aegypti, o mosquito que também transmite a dengue e a febre chikungunya.  
O conhecimento da ciência e filosofia espírita nos permite saber que só renasce em um organismo nessas condições e apresentará essa má-formação, aquele Espírito que tem sintonia com a anomalia, ou seja, é magneticamente atraído pelo seu padrão vibratório. Não há acaso biológico, nem processo punitivo, há Lei de causa e efeito, visando ao aprendizado, visando à cura ou drenagem da dimensão astral para a dimensão física. O processo expiatório é um mecanismo de libertação do problema. Só reencarnará em um organismo que será lesado por infecção, droga e outros fatores, um Espírito que tiver em seu corpo espiritual predisposições para esta lesão.       
Bebê microcéfalo: o momento da reencarnação
Lembramos que, se o óvulo, geralmente, é um solitário à procura de um companheiro ideal, os pretendentes à sua posse definitiva e à união completa são muitos espermatozoides. Exatamente aquele óvulo, com aquele conjunto de genes, foi o liberado na ovulação pela influência das energias do Espírito. No caso de microcefalia primária ou verdadeira, o campo magnético do perispírito determina a liberação de um óvulo com o gene do problema. O Ser reencarnante, mesmo inconsciente e a distância, já estava, pelos mentores especializados, unido à psicosfera materna, em função de uma longa história do passado...
Mais de duzentos milhões de espermatozoides; uma população igual à de muitos países somados se acotovelarão na busca desenfreada de um só troféu. Consideram alguns biólogos que o mais apto vence a corrida e fecunda o óvulo. Mas como o mais apto? Por que, às vezes, um espermatozoide portador das mais profundas anomalias supera todos os demais? Estudando a ciência espírita, encontramos a resposta satisfatória para este aparente “capricho do acaso”.
Genes e Magnetismo
Cada espermatozoide traz em seu bojo os cromossomas que contêm os genes para todas as características físicas do novo corpo a ser formado. Os genes, moléculas de DNA, são partículas de altíssima complexidade.
Os espermatozoides, conforme os genes que transportam, têm uma vibração energética peculiar. Conforme o padrão genético que levam, emitem uma frequência de onda correspondente. Dizemos, então, que cada espermatozoide possui uma aura energética peculiar ao conjunto de genes que carrega. No caso que estudamos, há entre esses espermatozoides os que carregam genes causadores de síndromes genéticas onde a microcefalia se manifestará.
O óvulo, como toda célula viva, possui um campo de fluido vital ao seu redor. Este fluido vital, ou energia vital, é o campo de força que atrai as energias da entidade reencarnante. Este Espírito ou entidade reencarnante liga-se ou prende-se ao óvulo, passando, então, a irradiar suas vibrações, cada vez mais intensamente, em direção ao fluido vital do óvulo. O óvulo, ao irradiar as vibrações do Espírito, passa a atrair, automaticamente, por sintonia de ondas, aquele espermatozoide que contém os genes que sintoniza, ou seja, que ele precisa e expressa sua realidade perispiritual, os genes da microcefalia que necessita para seu reequilíbrio e desenvolvimento espiritual.
Conforme o carma da entidade espiritual, expresso pelas suas matrizes perispirituais e refletidas no óvulo, são atraídos os genes que sintonizam com a mensagem ou código, transmitida inconscientemente pelas unidades energéticas do perispírito, e recebidas pelas moléculas de DNA (ácido desoxirribonucleico) do espermatozoide correspondente.
São quase 300 milhões de opções diferentes para um novo organismo biológico, opções apresentadas pelos espermatozoides, razão por que, somos todos tão especiais, diferentes uns dos outros. Este aparente desperdício de espermatozoides é a sábia lei da natureza fornecendo múltiplas opções para que a justiça divina, oportunizando evolução, se cumpra através das leis biológicas.
              Ricardo Di Bernardi







"REENCARNAÇÕES DOS ANIMAIS"

Sempre se fala na evolução e reencarnação do espírito do ser humano, agora, como é que acontece a evolução e reencarnação do espírito dos animais????. A evolução deles tem a ver com o tipo de animal que é????, por exemplo; um pássaro é menos evoluído que um cachorro????? porque a gente vê sentimentos profundos num cachorro e não conseguimos ver o mesmo nos pássaros?????. Como funciona a reencarnação???,
No processo evolutivo, os animais, pouco a pouco, vão se modificando. A princípio possuem uma "alma-grupo" que, no evoluir das espécies, vai se individualizando. Aprendemos na escola, que a escalada evolutiva segue a seguinte ordem: peixes, anfíbios, répteis, aves e mamíferos. Fazendo uma análise e comparando cada qual, notamos que a espécie mais evoluída é a dos mamíferos. Poderemos nos perguntar: nós também não somos mamíferos? Sim, realmente somos, mas pertencemos ao grupo hominal. E o que nos diferencia das demais espécies? Nós já temos a faculdade da razão e uma inteligência já desenvolvida. Sobre nós impera a Lei do Livre Arbítrio e a Lei da Ação e Reação. Os animais possuem uma inteligência fragmentária, possuem sentimentos, mas sobre eles impera o instinto. E qual o papel deles junto a nós? Através das leituras, vamos adquirindo a consciência de que eles, como nós, estão passando por um processo evolutivo. Nós, buscando o aperfeiçoamento moral e espiritual, para um dia atingirmos as alturas angélicas; eles, evoluindo nas diversas espécies, para um dia reencarnarem no reino hominal. Em algumas literaturas é colocado que: "Nossa responsabilidade para com eles é a mesma do Plano Espiritual Maior para conosco". Então, estas pequenas criaturas que conosco comungam a jornada terrena e nos auxiliam, muitas vezes sendo sacrificadas em benefício da ciência para o bem da humanidade, merecem de nós respeito, compreensão, amor e auxílio em sua evolução. Devemos, pela responsabilidade a nós colocada, dar o melhor de nós a estes irmãos menores, pois este "melhor" estará guardado intuitivamente em seus corações e, quando passarem para o reino hominal, já terão dentro de si o amor. Poderão, então, ser pessoas melhores, evoluindo mais rapidamente pelos caminhos do bem e do amor. Já dizia Leonardo Da Vinci: "O dia em que o homem conhecer o íntimo dos animais, todo crime realizado contra um animal, será um crime contra a humanidade". Quanto a questão da reencarnação dos animais, no Livro dos Espíritos temos na questão 598 – A alma dos animais conserva depois da morte sua individualidade e a consciência de si mesmo? “- Sua individualidade, sim, mas não a consciência do seu eu. A vida inteligente permanece no estado latente.” E na questão 600 – A alma do animal, sobrevivente ao corpo, está depois da morte em um estado errante como a do homem? “- É uma espécie de erraticidade, visto que não está unida ao corpo, mas não é um Espírito errante. O Espírito errante é um ser que pensa e age por sua livre vontade, sendo a consciência de si mesmo seu atributo principal. A alma dos animais não tem a mesma faculdade. O Espírito do animal é classificado, depois da sua morte, pelos Espíritos que a isso compete, e quase imediatamente utilizado (para reencarnação), não tendo tempo de se colocar em relação com outras criaturas.”

Fonte: Portal do Espírito. www.portaldoespírito.com.br

“ESPÍRITOS ANTIGOS EM CORPOS JOVENS, ESPÍRITOS JOVENS EM CORPOS ENVELHECIDOS”

O processo envelhecer demanda uma atenção especial em virtude das modificações biológicas, psicológicas e sociais, sendo necessária uma maior atenção por parte da sociedade e formulação e efetivação de políticas públicas voltadas para o idoso. Em muitas tradições e civilizações, principalmente as orientais, o idoso é visto com respeito e veneração, representando uma fonte de experiência, do valioso saber acumulado ao longo dos anos, da prudência e da reflexão, enquanto em outras culturas o idoso representa “o velho”, “o ultrapassado” e “a falência múltipla do potencial do ser humano” – é lamentável!
Quanto mede o respeito e veneração pelo idoso? Toda a paciência e dedicação do mundo. A amostra disso é o exemplo da jovem Huang Li Hua, de 24 anos, que se dedica a carregar literalmente nas próprias costas a sua avó Wan Zongsiu, de 88 anos, todos os dias para o seu restaurante, livrando-a da solidão. O caminho é percorrido diariamente no sudoeste de Chongqing, município da China. Huang é proprietária de um fast food, com tudo fluindo bem. Ela não se esquece da avó, que na sua infância muitas vezes a acolheu. Huang lembra que, quando era criança, a avó cuidava dela enquanto os seus pais trabalhavam na lavoura, e agora é a vez da neta mostrar seus cuidados com a senhora Wan, sua avozinha. [1] Admirável o comportamento da jovem Huang, sem dúvida.
Refletindo sobre a questão da velhice, propriamente dita, cremos que deveria ser encarada como ditosa pelo que contém de gratificante, mormente por causa das longas refregas das buscas e das realizações. Envelhecer é uma arte e uma ciência, se buscarmos rejuvenescer nossa alma. Há idosos que conquistaram a longevidade de forma sadia e feliz, contudo muitos estão largados nos asilos da vida, amargando suas enfermidades no isolamento. Há os que aceitam sua decrepitude sem rezingar e sem exigir nada dos outros; todavia igualmente indiferentes não oferecem nada a ninguém. Dizem que a idade avançada é a noite da Vida, entretanto, a noite pode ser bela, clara, toda ornamentada de estrelas e constelações, luar e claridade a se esparzirem de uma longa vida cheia de virtude, bondade e honra! O entendimento espírita vê a idade avançada como o outono no tempo, fase normal, necessária, imprescindível na sucessão harmônica dos objetivos e funções da encarnação, envolta, igual a todas as outras, nos dons da Natureza, nas bênçãos de Deus.
O tempo é implacável e excelso transformador de destinos. Muitas vezes não compreendemos os segredos do tempo que se esvanece ligeiro na vida material. Há aqueles que envelhecem e pouco realizam nas instâncias do bem ao próximo. Há, contudo, aqueles que consolidam em si a possante fé cristã, praticando inteiramente o amor ao próximo. Abraham Lincoln dizia que não são os anos em sua vida que importam, mas a vida em seus anos. O pensador Alexis Carrel proferia frase semelhante, dizendo que o importante não é acrescentar anos à sua vida, mas vida aos seus anos. O médico alemão Harry Benjamin endossou as ideias de Lincoln e Carrel pronunciando: “não queira acrescentar dias à sua vida, mas vida aos seus dias.”. Os anos não passaram em vão na vida de David Livingstone, escritor de inesquecíveis contos literários que o projetaram no Século XIX ao lado de deuses da literatura mundial, a exemplo de Victor Hugo. David entoou os doces cânticos da Mensagem de Jesus para os nativos sul-africanos. Renunciou aos apelos da fama, abandonou a Escócia, sua terra natal, e juntou-se àquelas almas sofredoras, nascidas na mais dura dificuldade material na África.
Bela foi a velhice de Florence Nightingale, a ilustre “Dama da Lâmpada”; ela que vestiu a túnica da abnegação, afastando-se do convívio do esplendor inglês, a fim de adotar, voluntariamente, a penosa empreitada de socorrer as vítimas da Guerra da Criméia, no século XIX. Os anos não passaram em vão nos projetos de vida de Jean Henrique Dunant, que inspirado nas virtudes da fundadora da primeira escola de enfermagem da Terra, escreveu o livro “Un Souvenir de Solferino”, publicado em 1862, em que sugeria a criação de grupos nacionais de ajuda para apoiar os feridos em situações de guerra, e propôs a criação de uma organização internacional que permitisse melhorar as condições de vida e prestar auxílio às vítimas da guerra. Em 1863, Dunant fundou a Cruz Vermelha Internacional, reconhecida, no ano seguinte, pela Convenção de Genebra.
Uma das dez mulheres mais importantes dos Estados Unidos, no século XX, Hellen Keller envelheceu c om coragem e determinação robusta para vencer suas limitações físicas, pois era surda, muda e cega de nascença. Contudo, um dia Keller conseguiu falar e soltou o verbo como ninguém. O vigor moral fez dela uma singular mulher, com grande projeção no cenário do mundo. Na decrepitude o seu verbo infundia ao Homem a necessária reflexão sobre o quanto somos potencialmente ilimitados quando amamos o próximo. Caminhos idênticos palmilhados por Eartha Mary Magdalene White. Por onde andava, os famintos, os aflitos e os desamparados, de todas as idades, sentiam a sua presença compassiva e animadora.”. Fundou uma Instituição de amparo ao negro e foi uma verdadeira lenda no norte da Flórida, Estados Unidos. Os anos não passaram em vão em sua vida, pois desencarnou em 1974, com 95 anos de idade, deixando um segredo inscrito numa frase para vivermos a grande mensagem: – “Façam todo o bem que puderem, de todos os modos, em todos os lugares, para todas as pessoas, enquanto puderem.”
Antes de encerrar, formulemos a seguinte reflexão: A idade corporal nem sempre corresponde à idade espiritual, e vice-versa. Neste instante um Espírito muito antigo está habitando um corpo novo, da mesma forma um Espírito jovem está animando um corpo envelhecido. Isso não significa dizer, porém, que a juventude ou a velhice do Espírito insinuem, decisivamente, a falta de saber ou o atraso de um e a sabedoria e a evolução de outro até porque “Deus criou [os Espíritos] simples e ignorantes e a todos concedeu as mesmas oportunidades, não obstante as diferenças das missões individuais, a fim de alcançarem a perfeição pelo conhecimento da verdade.”[2] Daí decorre que, “perante Deus existe a mais absoluta igualdade natural [entre os Espíritos]”[3], e que o desenvolvimento moral de cada um é encargo de sua competência exclusiva (velhos e jovens), uma vez que o plano do Criador não admite exceções, imunidades ou primazias para qualquer criatura.
Jorge Hessen
Referências bibliográficas:
1 Disponível em http://www.hypeness.com.br/2014/07/jovem-se-dedica-a-avo-carregando-a-todos-os-dias-para-o-trabalho-para-que-nao-que-sozinha/ acesso 05/11/2014
2 Kardec Allan. O Livro dos Espíritos, Rio de Janeiro: Ed. FEB 20d00, perg.115

3 Idem perg. 803