Seguidores

terça-feira, 3 de outubro de 2017

“GRANDE PARTE DOS TRANSTORNOS MENTAIS TÊM CAUSAS ESPIRITUAIS. O CORPO FÍSICO É SOMENTE O VEICULO DE MANIFESTAÇÃO. ”

Os transtornos mentais - excetuando-se os casos produzidos por acidentes e traumatismos cerebrais ou ainda por moléstias infecciosas (meningite, por exemplo) - têm no Espírito a causa raiz da psicopatologia. O corpo físico é somente o veículo de manifestação.
Divaldo, do alto de seu imenso conhecimento e amor nos esclarece a seguir que as psicopatologias – cuja gênese reside no Espírito – possuem procedências distintas:
A. ENDÓGENA – O Espírito ao iniciar o processo da reencarnação, imprime, nos códigos genéticos, as deficiências decorrentes da irresponsabilidade, que se apresentarão no futuro, em momento próprio, como descompensação nervosa, carência ou excesso de neurotransmissores responsáveis pelos correspondentes transtornos psicológicos ou de outra natureza. É a lei de causa e efeito em ação. 1
B. EXÓGENA – Espíritos desencarnados adversários, direcionam à mente do hospedeiro físico induções hipnóticas carregadas de pessimismo e de desconfiança, de inquietação e de mal-estar, que estabelecerão as matrizes das obsessões, classificadas por Kardec como sendo: Simples, Fascinação ou Subjugação (equivocadamente chamada de Possessão).
Em todos esses casos, vamos encontrar espíritos (encarnados) moralmente enfermos endividados perante as Leis Divinas, em processos graves de provações dolorosas ou expiações reeducativas. A cada um segundo suas obras, já nos ensinava Jesus.
Independentemente da categoria, a obsessão é enfermidade de longo curso, a exigir tratamento especializado e cujos resultados, não se fazem sentir no curto prazo.
Os tratamentos especializados (psiquiátricos e psicológicos) – indispensáveis – podem produzir melhoras no quadro. Todavia os hospedeiros desencarnados não foram afastados, persistindo nas tentativas de perseguição e vingança.
Somente quando ocorrer uma alteração do comportamento mental e moral do enfermo, direcionado para o amor, para o bem, conseguindo sensibilizar aqueles que estejam na condição de perseguidores, é que dar-se-á a recuperação recebendo no processo terapêutico o auxílio – imprescindível - dos medicamentos na reorganização da máquina cerebral.
O Espiritismo – o Consolador prometido por Jesus – mostra as causas e os objetivos dos sofrimentos – físicos e morais – os quais, então, passam a ser vistos como “crises” salutares e que garantirão a felicidade nas existências futuras – se vividos com resignação e sem revolta;
Uma vez esclarecida, a criatura tem a oportunidade de compreender que seu sofrimento é justo e não um castigo de Deus ou obra do acaso.
Neste ponto, a emoção suscitada pelas palavras carregadas de vibrações dulçorosas de Divaldo vai abrindo passagem até chegar ao âmago de nossos corações.
Esperança nos corações desalentados afloram. O mundo se nos afigura mais belo enquanto que uma voz silenciosa repete amorosamente:
“Vinde a mim todos vós que estais sobrecarregados e aflitos e eu vos aliviarei”
Para aqueles que desejam aprofundar conhecimentos, tomamos a liberdade de sugerir a leitura do capítulo 2 (Sexo e Reencarnação) de o livro Sexo e Consciência, Divaldo Franco, organizado por Luiz Fernando Lopes, editado pela LEAL.
Texto: Djair de Souza Ribeiro



“CUIDADO COM ESSES ESPÍRITOS QUE PEDEM COISAS MATERIAIS COMO CIGARROS, BEBIDAS ALCÓLICAS, COMIDA, DESPACHOS, VELAS, QUE MARCAM ENCONTROS EM ENCRUZILHADAS...”

São espíritos inferiores ainda apegados as coisas terrenas e materiais, são espíritos materializados eles querem ainda continuar a sentir as coisas do mundo terra da vida corporal, como comer, beber, fumar, fazer sexo etc....
Eles desencarnaram mais continuam apegados ao plano terreno.
Um espírito elevado não vai mandar ninguém beber, fumar, fazer despachos, os espíritos elevados só pregam o bem, as Virtudes, a elevação moral, o desapego das coisas materiais, os espíritos elevados procuram moralizar e espiritualizar os encarnados.
Com essas práticas de dar comida, cigarros, charutos e bebidas alcoólicas para esses espíritos as pessoas vão contribuir para manter esses espíritos apegados ao plano terreno.
Eles vão continuar materializados apegados as sensações materiais, eles precisam se desapegar dessas coisas terrenas para poderem se espiritualizarem e evoluir.
Esses espíritos que pedem essas coisas são espíritos que precisam de doutrinações eles vivem muito apegados a vida corporal.
Tudo no mundo espiritual é sintonia mental estamos sempre atraindo e repelindo espíritos desencarnados conforme nossos pensamentos e conduta moral, portanto, cuidado com seus pensamentos e se afaste desses espíritos que pedem coisas materiais eles podem te obsedar com o passar do tempo.
Se eleve mentalmente e moralmente para você  poder entrar em contato com os espíritos elevados e superiores.
Os espíritos elevados não podem se aproximar de pessoas que estejam com maus pensamentos, maus desejos, vícios e maus hábitos estas pessoas possuem um campo vibratório baixo e negativo e vão com isso atrair somente espíritos inferiores e obsessores pela sintonia dos pensamentos.
Tudo é sintonia mental no mundo espiritual.
Nenhum objeto, medalha ou talismã tem a propriedade de atrair ou de repelir os Espíritos. A coisa material não tem nenhum poder sobre eles. Jamais um bom Espírito aconselha essas práticas absurdas. A virtude dos talismãs nunca existiu, a não ser na imaginação das pessoas crédulas. (O Livro dos Médiuns, cap. XXV.)
— Não há nenhuma fórmula sacramental para a evocação dos Espíritos. Quem pretendesse oferecer uma poderia ser justamente chamado de charlatão, porque para os Espíritos a forma nada é. Entretanto, a evocação deve ser feita sempre em nome de Deus. (O Livro dos Médiuns, cap. XVII.)
— OS ESPÍRITOS QUE MARCAM ENCONTROS EM LUGARES LÚGUBRES E A ALTAS HORAS QUEREM DIVERTIR-SE À CUSTA DOS QUE LHES DÃO OUVIDO. É sempre inútil e frequentemente perigoso atender a essas sugestões. Inútil porque nada se ganha em ser mistificado, e perigoso, não pelo mal que os Espíritos possam fazer, mas pela influência que isso pode ter sobre as pessoas de cérebro fraco (O Livro dos Médiuns, cap. XXV.)
— Não há dias nem horas que sejam mais propícios às evocações. Isso é completamente indiferente para os Espíritos, como tudo o que é material, e crer nessa influência seria simples superstição. Os momentos mais favoráveis são aqueles em que o evocador pode estar menos preocupado com as suas ocupações habituais, ou em que o seu corpo e o seu Espírito se acham mais tranquilos. (O Livro dos Médiuns, cap. XXV.)
— A crítica malévola representa as comunicações espíritas cercadas de práticas ridículas e supersticiosas da magia e a necromancia.
Se os que falam do Espiritismo sem o conhecer se dessem ao trabalho de o estudar, poupariam muito gasto de imaginação e evitariam alegações que só servem para demonstrar a sua ignorância ou a sua má fé. Para esclarecimento das pessoas estranhas a esta ciência diremos que, para se comunicar com os Espíritos, não há dias nem horas, nem lugares mais propícios do que outros, PARA EVOCÁ-LOS NÃO HÁ NECESSIDADE DE FÓRMULAS NEM DE PALAVRAS SACRAMENTAIS OU CABALÍSTICAS. NENHUMA PREPARAÇÃO E NENHUMA INICIAÇÃO TAMBÉM SÃO NECESSÁRIAS. O EMPREGO DE QUALQUER SÍMBOLO OU OBJETO MATERIAL, SEJA PARA OS ATRAIR, SEJA PARA OS REPELIR, NÃO TEM NENHUM EFEITO, BASTANDO PARA ISTO O PENSAMENTO. Enfim, os médiuns recebem as suas comunicações sem saírem do estado normal, tão simples e naturalmente como se elas fossem ditadas por uma pessoa viva. Só o charlatanismo poderia afetar maneiras excêntricas e acrescentar acessórios ridículos a esses momentos. (O que é o Espiritismo, cap. II, nº 49).Allan Kardec 

Fonte Espiritismo Racional e filosófico. Por: Wilson Moreno